Ler+

Este espaço faz a divulgação de obras a que a biblioteca deu destaque, que o aluno trabalhou na sala de aula ou que leu por iniciativa própria – esta atividade conta com supervisão dos professores de Português e é desenvolvida por alunos do 2º e 3º Ciclo. Ler mais…

imagem9

Haatchi & Little B

Haatchi & Little BEm janeiro de 2012, numa noite gelada, Haatchi (o cão) foi atingido na cabeça e abandonado numa linha de comboio, para ser atropelado. O pequeno cachorrinho de cinco meses foi encontrado mais tarde por um maquinista. Haatchi, apesar de estar aterrorizado, conseguiu sobreviver à perda de sangue da pata e da cauda e rastejar para um lugar seguro. Felizmente, Haatchi foi resgatado, embora os veterinários não tivessem conseguido evitar a amputação da cauda e da pata. Ler mais…

 Carolina V. 9º B

imagem9

A rapariga que roubava livros

A rapariga que roubava livrosEste livro relata a história de uma menina chamada Liesel Meninger, entre os anos 1939 a 1943. A mãe desta entregou-a aos cuidados do casal Hans e Rosa Hubermann. Durante a Segunda Guerra Mundial, a Alemanha dava o seu auxílio às famílias que adotassem crianças alemãs pobres. Liesel viu o seu irmão morrer nos braços da sua mãe durante uma viagem de comboio. Foi nessa viagem que Liesel roubou o seu primeiro livro, “O manual do coveiro”, que tinha ficado esquecido na neve pelo homem que tinha enterrado o seu irmão. Ler mais…

Beatriz V. 9º B

imagem9

Fairy Oak – O encanto das trevas

Fairy Oak - Encanto das trevasEste segundo volume começa depois da grande batalha entre o Inimigo e Tomelilla. A esse momento obscuro seguiram-se alguns dias de paz. Num desses dias Tomelilla deu a Pervinca “O Livro Antigo” que falava sobre os seus antepassados e os dos seus amigos.
Baunilha, Pervinca, Feli e Flox gostavam muito de ler “O Livro Antigo” juntas e nunca perdiam pitada, pois a história dos seus antepassados e da fada Neve, que foi a primeira fada baby-sitter de sempre, era realmente interessante.
Ler mais…

Maria N. 7º D

imagem9

imagem8

Em Mântua, num baile de máscaras, Romeu Montésquio encontra-se com Julieta Capuleto. Apesar de pertencerem a famílias inimigas, eles apaixonam-se e prometem encontrar-se novamente. Na manhã seguinte, Julieta envia a sua ama, para se encontrar com Romeu e marcar um encontro. Após algum tempo, Romeu pede Julieta em casamento e esta aceita.
Após um conflito entre as famílias Capuleto e Montésquio onde dois indivíduos são mortos, Romeu é exilado de Mântua. Ler mais…

Diogo, 9º C

imagem9

imagem1José de Sousa Saramago foi um escritor, argumentista, teatrólogo, ensaísta, jornalista, dramaturgo, contista, romancista e poeta português. Foi galardoado com o Nobel de Literatura de 1998. Também ganhou, em 1995, o Prémio Camões, o mais importante prémio literário da língua portuguesa.
‘’O Conto da Ilha Desconhecida´´ de Saramago cativa-nos e faz-nos pensar. Através do uso de metáforas simples e acertadas podemos ver uma mensagem, também simples, mas muito profunda e valiosa. Ler mais…

Catarina, nº5, 9º C

imagem9

imagem1Num dia normal de escola, Clara (irmã mais velha) e Leonor (irmã mais nova) esperavam a chegada da mãe, à porta do colégio. Não era normal a mãe demorar tanto tempo. Qual não foi o seu espanto quando viram que não era a mãe que as ia buscar, mas sim o pai. Era de facto um acontecimento estranho, pois, devido à separação dos pais, o pai nunca as ia buscar, viam-no apenas ao fim de semana. No caminho até casa do pai, receberam a triste notícia que a mãe tinha morrido. Ler mais…

Marta, 8º A

imagem9

O Diário de Anne Frank é um dos livros mais interessantes que eu já li!….
Fala de uma rapariga de nacionalidade judaica que vivia com os pais, com o seu gato Mohrchen e com a sua irmã Margot.
Antes de emigrarem para a Holanda, por causa das perseguições aos judeus, viviam em Francfort.
Anne estava numa fase muito difícil na vida de qualquer adolescente, e devido à solidão que sentia decidiu escrever um diário. Esse diário foi-lhe oferecido no seu décimo terceiro aniversário. Ler mais…

Maria Gabriel, 5º E            

imagem9

«O Principezinho», um livro para reler…  

Esta história fala de um rapazinho chamado Principezinho e da sua amizade com o narrador da história. Este rapaz é oriundo do asteróide B-612, um planeta pouco maior que uma casa. Nesse planeta ele tinha três vulcões em miniatura, que mal lhe chegavam aos joelhos, dois activos e um extinto, que ele limpava com todo o cuidado. Também tinha uma linda rosa vermelha que, apesar da sua antipatia, o cativou, tornando-se única no universo, para ele. Após viajar e visitar alguns planetas, o Principezinho revela um segredo: «O mais importante é invisível aos olhos, apenas o podemos ver com o coração.»

É um livro que recomendo a todas as pessoas, pois, tal como diz a sua contra capa, é uma obra para ler quando somos mais pequenos e reler mais tarde, para tentar perceber as enigmáticas conversas travadas entre as personagens. Através deste livro, mergulhe na magia da escrita de Antoine de Sant-Exupéry! Ler mais…
Luís 8º C

imagem9

Henrique entrou no quarto do Pedro e, vendo que estava a escrever algo, perguntou-lhe o que era, ao que ele respondeu para sair do quarto, acabando mesmo por chamar a mãe.
Henrique viu que era um diário e perguntou o que ali estava escrito, mas Pedro não revelou, apenas referindo que o ia ler em voz alta na reunião da turma e a partir daí já podia saber.
Henrique pensou que Pedro estava a inventar coisas sobre ele no diário e assim todos iriam gozar com ele. Um dia antes da reunião Henrique foi ao quarto de Pedro, viu o diário e começou a lê-lo. O que estava escrito era ridículo. Então decidiu escrever no próprio diário.
Na reunião Pedro leu em voz alta, mas a professora mandou parar a meio porque estava a dizer mal da professora.
A directora da escola disse que ia falar com os pais do Pedro…

Sérgio, 5ºB

imagem9

Eu gostei muito deste livro por ser um livro muito criativo, original, com uma narrativa simples, mas interessante. O livro consegue reunir todas estas qualidades estando organizado em capítulos, cada um com uma história própria, o que torna a sua leitura e compreensão mais simples, sendo por isso a sua leitura adequada a leitores de qualquer idade.
Por estas razões, recomendá-lo-ia a uma pessoa que não goste de ler e principalmente recomendá-lo-ia a alguém que julgue os outros sem os conhecer. Isto porque, ao longo da narrativa, Peter, a personagem principal, vai “vestindo a pele” das outras personagens. Isso faz com que Peter os conheça e os compreenda, e fique a ter outra opinião sobre estas.
Penso que a melhor lição que este livro nos dá é a de sermos capazes de nos pormos no lugar dos outros, antes de os julgarmos e de os criticarmos. Ler mais…
Eduardo nº6 8º C

imagem9

Eu li o livro Shiloh, de Phyllis Reynolds Naylor, da Editora Verbo.
Gostei muito de ler o livro porque conta a história de Marty Preston, um rapaz que vive com a família, os pais e duas irmãs mais novas, nas montanhas da Virgínia ocidental. Vive numa casa, tipo um monte, rodeada por campos e montanhas.
Marty sempre quis ter um animal de estimação mas não podia porque viviam com dificuldades e cuidar de um animal era mais uma despesa.Certo dia, num passeio junto ao rio, descobre um cão. À medida que anda o cão segue-o mas quando pára o mesmo olha-o desconfiado. Marty assobia, o cão abana a cauda e segue-o. Ler mais…
Margarida 5ºA

imagem9

Trata-se de um livro que apresenta várias maneiras de ultrapassar o sofrimento e a perda da mãe. Clara e Leonor tiveram a sorte de ter na família quem as acolhesse em casa e as protegesse.
O livro também nos dá a importância do sentimento dos sonhos e de como podemos ser felizes num mundo imaginário para suportar a realidade ou fugir de um problema real.
É um livro que descreve problemas reais, sem finais felizes. Ler mais…

Margarida 5º A

imagem9

O livro conta-nos a história de Bruno, um rapaz pertencente a uma família de quatro pessoas: os seus pais, o Bruno e a irmã, Gretel. Certo dia, ao regressar da escola, Bruno vê as suas coisas empacotadas: o pai, soldado alemão, tinha sido promovido no trabalho e toda a família tinha que deixar a grandiosa casa para se mudar para outra cidade. Par além da tristeza com a mudança Bruno não consegue conhecer ninguém com quem brincar e não encontra nada para fazer. Mas o pior é que a nova casa tem uma vedação de arame farrapado, que isola a casa de outras pessoas que ele consegue ver, através da janela. As pessoas que Bruno avista ao longe usam todas pijamas às riscas. Ler mais…
Margarida 5ºA

imagem9

O livro conta-nos a história de uma escritora que estava a escrever um livro. Para escrever o livro procurou um lugar sossegado, numa casa da praia que uma amiga lhe indicara. Ao chegar à casa da praia, teve uma grande surpresa: um rapaz (Dunas), não a largava nem por um segundo.
Dunas perguntava-lhe o que escrevia e porque tinha vindo para a casa da praia. A escritora descreveu-lhe que estava a escrever um livro sobre uma mulher que vivia no alto de um prédio, situado numa cidade escura. Dunas conseguiu demonstrar à escritora que se escrevesse sobre o mar o livro seria mais interessante. Depois da conversa os ficaram amigos. Ler mais…
Margarida 5ºA

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s