Cientistas

Tales de Mileto
624 a.C. – 546 a.C.

Tales de MiletoFoi talvez o primeiro grande pensador helénico. Não se conhece nenhuma obra que tenha escrito, a reconstituição do seu pensamento e de alguns passos biográficos foram feitos através das referências colhidas em outros autores, por exemplo, Próculo, filósofo grego que viveu por volta do período de 450 da nossa era, escreveu: «[Tales] primeiro visitou o Egipto e depois introduziu os estudos de geometria na Grécia (…)». Conhecido como geómetra, astrónomo e filósofo, terá visitado por necessidades comerciais, e possivelmente também com interesses culturais,  o Egipto. Ler+

Louis Braille

Louis Braille2Louis Braille nasceu a 4 de janeiro de 1809, na pequena cidade francesa de Coupvray, a cerca de 45 km de Paris. Braille ficou cego aos três anos de idade. Uma infeção provocou-lhe a cegueira total. Apesar disso, inicialmente Braille frequentou uma escola para crianças com visão normal, onde se destacou como aluno aplicado. Em 1820, pediu transferência para o instituto de crianças cegas de Paris, fundado 40 anos antes por Valentin Haüy. Ler+

Emmy Noether

CinetistaNascida em Erlangen, na Alemanha, em 23 de Março de 1882, Emmy Noether, considerada como a criadora da álgebra moderna, foi uma matemática e física alemã de origem judaica, conhecida pelas suas contribuições inovadoras na álgebra abstracta e na física teórica.
Seu primeiro nome era Amalie, mas ela era conhecida pelo nome do meio, Emmy. A sua mãe, Ida Amalia Kaufmann Noether, veio de uma família rica da Colónia. O seu pai, Max Noether, professor na Universidade de Erlangen, foi um matemático que trabalhou na teoria das funções algébricas. Dois dos seus três irmãos mais novos tornaram-se cientistas – Fritz foi um matemático e Alfred obteve um doutoramento em química.

Thomas Edison

EdisonInventor norte-americano (1847-1931), registou mais de 1000 patentes na área da tecnologia, incluindo a lâmpada elétrica incandescente, o fonógrafo e o aparelho de projeção.
Apenas com doze anos de idade, começou a vender jornais durante viagens de comboio. Depois, num vagão que lhe foi cedido, montou uma prensa de impressão e fundou o jornal Weekly Herald que redigia, imprimia e vendia durante as viagens. Nos tempos livres, dedicava-se ao estudo de física, mecânica e química e fazia experiências no vagão. Ler mais…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s