Texto Livre

As castanhas crianças

Numa bela manhã de outono, no prédio dos ouriços, passou a morar a família da castanha Castanhinho.
O Castanhinho era uma castanha criança, tinha pouca altura e mostrava-se antipático com todos os que se cruzavam com ele.
Ao lado, vivia a castanha Colorida, que era também uma criança, alta, com muitas cores, simpática e amorosa.
Quando iam juntos para a escola, o Castanhinho tinha sempre uma cara de menino zangado, mas a Colorida tentava sempre falar com ele.
– O que tens? Não queres ser meu amigo?
Só que o Castanhinho virava-lhe as costas e nada dizia.
Ela desistiu de falar com ele e passou a dar-lhe uma beijoca, na bochecha, todos os dias… a princípio, ele ficava envergonhado, mas com o passar do tempo aprendeu a sorrir… e a ser feliz!

Moral da história: os amigos são o melhor remédio para sermos coloridos, ou melhor, felizes!

Texto coletivo – 3º C

Carta 

Elvas, 11 de janeiro de 2018

Querido João Pateta e sua Mamã,
Hoje tivemos a oportunidade de vos conhecer e ver ao vivo.
Gostámos muito do vosso teatro!
A história do João Pateta é muito divertida. Gostámos muito de ver as brincadeiras que fez com a sua Mamã, de todas as “patetices divertidas” que disse… e de todas aquelas “confusões”. As cenas com os fantoches também nos arrancaram grandes gargalhadas.
Já estamos com saudades vossas (estamos sempre a falar de vocês com a professora Andrelina – mas ela diz logo que também está com saudades do burrinho!).
Obrigada por terem vindo cá… esperamos voltar a ver-vos noutro espetáculo.

Com carinho, abraços, abracinhos e beijinhos

Os alunos do 3º C

O príncipe com orelhas de burro … outro fim de história

O príncipe com orelhas de burro cresceu … e as suas orelhas também!
Ele vivia muito triste e fechado no palácio, para ninguém o ver. O príncipe estava cansado de viver apenas com a mãe e o pai, queria sair e conhecer o mundo. Um dia montou o seu cavalo e saiu ao portão do palácio. Todos os que o viam se riam dele. Cheio de tristeza e envergonhado decidiu ir procurar alguém que o ajudasse, certamente as fadas estariam por perto!
Encontrou as fadas que lhe disseram que tinha que mostrar a sua valentia. Tinha que regressar ao palácio, descer às grutas cavernosas, onde estava preso o dragão e retirar-lhe uma escama e um dente.
O príncipe regressou ao palácio e, durante a noite, foi com pezinhos de lã até à gruta. Procurou o dragão e encontrou-o enroscado a dormir. Devagarinho, arrancou-lhe uma escama … e o dragão todo estremeceu, depois, com muito cuidado, puxou-lhe um dente e plim … as orelhas de burro desapareceram e o dragão, numa linda donzela se transformou! E a história acabou! O príncipe com a donzela casou e por causa de um dente viveram felizes para sempre!!

Texto coletivo – Turma 2ºB

Patrícia ConceiçãoNo meu fim-de-semana, fui ao desfile do feriado de Elvas, onde o meu pai participou. Passaram muitos bombeiros, tropas e cavalos.
Mais tarde, tive uma competição de cavalos. A competição foi de corrida e de obstáculos. A minha amiga Sandra ficou em primeiro lugar e eu fiquei em segundo lugar.
Às sete da tarde, fui à procura de uma coleira para a minha gatinha bebé e cortei o cabelo.
Eu adotei uma cadelinha que estava na rua, mas fui logo ver se ela tinha carraças. Depois levei-a para o canil para ela ter uma vida feliz.

Patrícia Conceição – 3º D

Anúncios