7º Ano

Lendas e Narrativas

imagem111Publicadas em dois volumes, em 1851, estas “Lendas e Narrativas”  de Alexandre Herculano são uma coletânea de histórias publicadas entre 1839 e 1844 nas revistas O Panorama e A Ilustração.
Nelas Herculano aborda vários períodos da história da Península Ibérica. É evidente a preferência do autor pela Idade Média, época em que, segundo ele, se encontravam as raízes da nacionalidade portuguesa.
O Castelo de Faria

As Ilhas Desconhecidas

imagem112Em 1924 Raul Brandão fez uma viagem aos arquipélagos dos Açores e da Madeira num grupo de intelectuais – entre eles Vitorino Nemésio – promovida pelos autonomistas. Dessa visita, das suas impressões e anotações, surgiu o livro As Ilhas Desconhecidas – Notas e Paisagens, em que não só descreve com particular fulgor a beleza natural das ilhas, como observa a condição do seu habitante. Obra fundamental na formação da imagem (interna e externa) destes territórios, As Ilhas Desconhecidas tornou-se um dos mais importantes e belos livros de viagem da literatura portuguesa.

Bichos 

imagem113Publicado em 1940, Bichos é o primeiro livro de contos de Miguel Torga, um dos mais originais da literatura portuguesa no género, de tal modo que se afirmou como o maior êxito literário do autor e como um dos clássicos da nossa literatura.
Esta obra é um testemunho singular da união natural entre homens e bichos – animais com um sentir humano que se igualam ao homem na mesma luta pela sobrevivência, e seres humanos que se transfiguram em animais. Ler mais…

Aldeia Nova 

imegem115Publicado em 1942, é com esta obra que Manuel da Fonseca revela o seu grande talento para o conto. Os contos foram escritos a partir do fim dos anos vinte e até ao fim da década de trinta.
Manuel Lopes Fonseca, mais conhecido como Manuel da Fonseca foi um escritor, poeta, contista, romancista e cronista português.

Mestre Finezas

A mulher que prendeu a chuva 

imagem115A criada negra de um hotel luxuoso para senhores de fraque, o viúvo que, todas as manhãs, desde a morte da mulher, demorava 50 minutos no cemitério a ler a lápide, as vizinhas que espreitam pelos buracos das fechaduras, o neto e a avó que perdeu os óculos nas dunas e a mulher que conseguiu comprar um casaco de raposa vermelha são personagens que habitam os 14 contos de Teolinda Gersão.
A avó e neto contra vento e areia

A Pirata 

imagem116A Pirata é uma biografia ficcionada da célebre Mary Read, uma das poucas mulheres-pirata e que há memória. Conhece- se a história de Mary Read pela breve descrição que dela faz o capitão Charles Johnson na História Geral dos Piratas. Sabe-se que nasceu em Inglaterra, que foi soldado na Flandres e que foi capturada na Jamaica com a tripulação do famoso capitão Calico Jack Rackam e a sua amante, a terrível Anne Bonny. Condenadas à morte na forca, Mary Read e Anne Bonny viram a sentença adiada por estarem grávidas. Mary Read veio a morrer na prisão, em Abril de 1721.

Contos tradicionais do Povo Português 

imagem117As histórias que encantaram pais e avós sempre foram as primeiras a serem contadas às crianças. Antes de saberem ler vão aprendendo de cor os contos que lhes transmitem a sabedoria e os costumes do povo português. Mas os contos tradicionais não são só coisas dos mais novos. Neles encontra-se a tradição oral do povo, que perdurou ao longo dos tempos. Não esqueçamos a origem do povo a que pertencemos e todos os mitos, crenças e enigmas por ele criados. Uma obra de Teófilo Braga.

Os Meus Amores

imagem119Uma série de contos rústicos que recuperam muitas das memórias de infância de Trindade Coelho e onde surgem tipos e quadros da vida rural, numa atmosfera de ternura, saudosismo e ingenuidade, com linguagem simples e realista, marcada pelo falar das gentes retratadas.

Parábola dos sete vimes
As três maçãzinhas de oiro

Leandro, o Rei da Helíria

imagem118Esta peça de teatro para crianças e jovens (com um enredo em muitos aspectos semelhante ao de “Rei Lear”, de Shakespeare) foi buscar a sua base a uma narrativa popular. Um pai decide repartir o reino pelas filhas e põe-nas à prova, acabando, contudo, por deserdar a mais nova. Esta vem a revelar-se, afinal, a única que era merecedora da sua generosidade.

À Beira do Lago dos Encantos

imagem120Habitantes de um planeta desconhecido, Ele e Ela interrogam a Vida, procuram significados para as palavras e vão descobrindo o mundo, através dos sentidos e, sobretudo, da experiência da amizade.

À Beira do Lago dos Encantos é uma peça de teatro plena de magia e fantasia que a autora, Maria Alberta Menéres, usa para abordar temas invisíveis como sejam as palavras, os sentidos e as sensações.
A história que esta peça nos conta passa-se num planeta distante e desconhecido onde, apesar da sua semelhança com a Terra, existem objectos transparentes, sem cor e impalpáveis. Fonte

A Substância do Amor e Outras Crónicas

imagem121A crueldade feminina fascina os homens. Amar uma mulher sem veneno é como jogar à roleta russa com uma pistola de fulminantes. A obscura força que leva um sujeito a lançar-se da Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro, preso a uma frágil lona (um parapente ou um asa-delta), em direcção ao imenso abismo azul, aos prédios aguçados, às areias luminosas da Praia do Pepino, é a mesma que o precipita, indefeso e nu, para os braços de uma mulher. Ler mais…

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s